Sumário:

Muitas das discussões sobre feitos, personagens ou o nível de poder de uma série em si acontecem pela diferença de ponto de vista sobre os "níveis de poder" que cada série possui, no entanto, em muitos desses casos o problema envolve diretamente a boa ou má vontade de cada um com cada série.

Se alguma vez você já pensou a seguinte coisa: "Essa obra nunca mostrou nada sequer perto desse nível, como posso considerar esse feito?" Então esse artigo é especialmente para você.

Aproveite e leia também o artigo de Termos de Discussão.

Veja também o artigo Sobre o uso de cálculos.

Feitos Atípicos

Os feitos atípicos, ou feitos isolados, também chamados de "outlier" nos fóruns estrangeiros, são feitos onde algo totalmente fora do padrão da obra em si acontece, e sendo algo totalmente incomum considerando o que a série havia mostrado até então, muitas pessoas preferem simplesmente ignorar o feito e seguir em frente. As pessoas que batem na tecla dos feitos atípicos, ou "outliers" como eu falei, geralmente são aquelas que não conseguem aceitar que a obra X consiga nível Y, sendo que antes era apenas nível Z, e muitas vezes tentam usar o argumento da coerência com a obra para desconsiderar um determinado feito.

Embora algumas vezes isso possa ser colocado dessa forma, muitas das vezes isso acaba simplesmente caindo na questão de você aceitar ou não que aquilo aconteceu. Se um feito vier a acontecer e não tiver nada que coloque a coerência da obra em si em jogo, não desconsidere o feito, foi algo que aconteceu, um fato, negar a existência de um fato somente porque a ideia de que uma obra ou um personagem subiu drasticamente de um nível para o outro te incomoda é tentar ir contra a realidade, cada autor faz da sua obra o que ele preferir, mesmo que isso signifique pular de humano para multiversal em 5 minutos ou ir além, e pular de multi-montanhas pra megaversal.

Então o que é e o que não é um feito atípico (Outlier)?

Isso é um Outlier!

Agora, vejamos aquilo que não é.

Por incrível que pareça é muito fácil distinguir um feito de um feito atípico, um outlier. Se um personagem sai sem nenhum arranhão de uma explosão de uma bomba atômica, mas toma dano de um soco, só significa que o soco causou mais dano que uma bomba atômica, lógica simples. Esqueçam essa ideia de que o autor tem a obrigação de ficar demonstrando o mesmo nível de poder que mostrou anteriormente em toda santa luta, se o Piccolo consegue destruir uma lua com uma rajada de energia normal e depois usa outra rajada de energia normal que acaba quase não causando destruição, não significa que a lua que foi destruída é um feito outlier, é exatamente essa a função do contexto, dizer o que é e o que não é um feito atípico.

Isso não é aplicado apenas a feitos que envolvem destruição, velocidade é a mesma coisa e não muda em nada a lógica acima, vamos usar como exemplo novamente o nosso amigo Piccolo, a rajada dele atingiu a lua em poucos segundos, o que faria sua velocidade variar de Sub-relativista/Relativista e até mesmo a velocidade da luz, "Ah, mas personagens de Dragon Ball depois não se esquivam de golpes muito mais lentos que as velocidades citadas", não, absolutamente não, os personagens de Dragon Ball futuramente não se esquivariam de golpes que eram superiores a rajada do Piccolo em velocidade, é uma escala de poder simples que vale para qualquer série, afinal, esse feito veio antes de qualquer outro, por que não seria considerado? Por que era muito cedo na série? Apenas por isso? Não, o argumento de "Feito X veio muito cedo logo não vale", é uma das piores coisas que pode existir e normalmente é usado por que existe uma falha visão.

"O nível de obra X implica direto na Y", não, o nivel de poder em Dragon Ball não tem nada haver com qualquer outra série, e nenhuma série não tem nada haver com o nível em qualquer outra, é normalmente esta visão que cria o argumento falho que o feito veio muito cedo e não pode ser aceito, pura e simples rivalidade idiota.

"Por que não é coerente", por que não seria? Qual feito futuramente desmentiria a rajada do Piccolo? Ele não existe, qualquer um que seja acima dele tem uma velocidade de ataque maior, e sabem o por que? Por que o feito do Piccolo veio ANTES de qualquer outro, e todos que são acima ganham um PS natural mesmo que os que venham depois por personagens mais fortes sejam inferiores ao dele.

Vamos usar um exemplo, se o Goku teve um feito de velocidade maior do que o do Bills, isso significa que Bills é mais lento?

Pois é.

Essa lógica não vale apenas para Dragon Ball, e sim para qualquer série.

O autor não tem absolutamente nenhuma responsabilidade com nada de crossover, se você desconsidera um feito porque segundo um cálculo ou algum outro elemento de fora da obra supostamente contradiz o nível de poder da obra, não é o autor, nem os personagens que estão criando essa contradição, é você.

Feitos que passam despercebidos

Acontece comigo, acontece com você, acontece com todo mundo que faz parte do mundo crossover, que são os pequenos eventos/feitos que acabamos deixando passar direto sem perceber enquanto assistíamos, liamos ou jogávamos tal obra. Ás vezes um mangá X possuía uma no máximo supersônica pra maioria dos personagens mesmo depois de 200 capítulos, porém, descobrimos após reler que no capítulo 13 um personagem de nível relativamente baixo na série conseguiu desviar de um raio real, fazendo com que então seja possível escalar uma velocidade massivamente hipersônica para praticamente todo o verso. O que fazer nesse caso?

A resposta é simples: Aplicar tal escala de poder para todo mundo. Não existe razão para desconsiderar o feito em si, uma vez que ele aconteceu, não é culpa do autor, nem dos personagens, que não foi notado tal feito antes, e mesmo assim muita gente prefere simplesmente ignorar algo do tipo a fim de manter o "padrão" que já existia antes. Mas pense por outro lado, em uma realidade paralela onde tal feito fosse percebido assim que o capítulo/episódio foi lançado, certamente seria considerado e um upgrade no verso aconteceria, então porque não aceitar a exata mesma situação apenas porque perceberam tarde demais?

Já dizia o ditado: "Antes tarde do que nunca".

A prisão visual dos níveis de poder

Uma coisa extremamente comum de se ver em qualquer fórum ou wikia por aí, são as pessoas que tentam desmentir o nível de uma obra pela "falta" visual de tal nível sendo constantemente aplicado. Sem dúvida alguma você já leu/ouviu por aí ou mesmo já foi/é alguém que disse: "Os personagens de Saint Seiya não chegam nem perto de planetário, pois nunca nem destruíram uma casa!", esse é o exemplo mais comum desse tipo de caso, a descrença se torna algo grande o bastante para nublar a visão e raciocínio da pessoa, o que acaba gerando grandes empecilhos nas discussões de crossover, a "prisão visual" acaba caindo muito no conceito daquele tipo de pessoa que diz "só acredito vendo", e ignora coisas muito mais importantes que a parte visual, como o contexto, por exemplo. É importante lembrar que o contexto é a parte mais fundamental da validade de um feito, é o contexto que irá dizer se algo condiz com o que o mangá ou o autor quer passar ou não, independente da parte visual/escrita da coisa.

Infelizmente existe outro tipo de "prisão visual", uma mais conceitual, que é quando uma pessoa cria uma imagem mental de uma obra, e impede a si mesmo de acreditar que a obra X possa subir além do nível que ela visualiza mentalmente, o que acaba levando a casos que caem nos três tópicos acima. Quando a pessoa se coloca nesse tipo de "prisão visual", ela começa a ignorar toda e qualquer prova de que aquilo seja válido, a fim de manter aquela imagem que ela mesma criou viva.

Conclusão

Use mais a cabeça para interpretação, e menos pra favorecer/desfavorecer alguma obra por motivos mais pessoais como gosto. Se todo mundo passar a tentar interpretar mais sem deixar nada nublar seu próprio julgamento da situação, ficará cada vez mais fácil descobrir, analisar e considerar tudo quanto é feito por aí, evitando várias discussões desnecessárias.

Em suma, os níveis de poder dos versos não são influenciados por quando e como um feito aconteceu, se o feito aconteceu, ele aconteceu, e se ele não tiver nada que destrua o próprio contexto da obra, resta aceitá-lo e aplicá-lo a quem se deve aplicar.

No final das contas.

Um feito outlier se acha vendo o contexto da história, e não no fato dele ocorrer.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.